Turismo Histórico, Rural e Cultural em La Pampa

La Pampa, porta de entrada à Patagônia Argentina, é um  território com intensas raízes em suas tradições. Neste circuito – que leva aproximadamente quatro dias – propomos uma viagem pela história argentina, aproximando-nos aos vestígios dos índios ranqueles, uma visão sobre diferentes culturas, conhecendo os menonitas e, é claro,  uma visita às estâncias pampeanas que abrem suas portas ao turismo permitindo desfrutar das atividades típicas do campo e da deliciosa gastronomia local.

O roteiro começa pela cidade de Santa Rosa, importante centro urbano e turístico da província de La Pampa. Em uma visita pela cidade, o destaque fica por conta do Museu Provincial de Artes, do Museu de História Natural, do Teatro Espanhol e da Catedral, entre outras construções e lugares de interesse. Impossível se despedir de Santa Rosa sem experimentar os sabores oferecidos tanto pelas quitutes tradicionais como pelos restaurantes de vanguarda, como o  internacionalmente conhecido “Pampa Roja”. Sua hotelaria está à altura das mais elevadas exigências com serviços de primeira qualidade e propostas que incluem serviços de spa.

 

O próximo destino pela rodovia provincial Nº 1 é Guatraché. Ali, a alternativa para quem gosta de conhecer outras culturas, é  visitar a Colônia Menonita. Com sua particular forma de vida e de trabalhar a terra, distantes das comodidades do mundo contemporâneo, os Menonitas preservam seus costumes e tradições holandesas e alemãs. Vivem uma vida simples, afastada das mais básicas características da modernidade. Suas principais atividades são: tambo leiteiro, queijaria, carpintaria, metalúrgica, comércio de secos e molhados, confecção de vestuário, elaboração de conservas, construção de carroças, criação de animais de curral e plantações próprias de horticultura. 

A próxima parada para um descanso reparador e para poder desfrutar de uma requintada  gastronomia é o Hotel Rural La Pampeana – na cidade de Sarah – com seu premiado restaurante de alta cozinha. Em um casarão do início do século XX, oferece  alojamento, serviços e atividades em um tranquilo ambiente do campo pampeano.

Continuando o roteiro cultural, vale a pena fazer uma visita ao “Parque Indígena Leuvucó”, localizado a 25 quilômetros ao norte de Victorica, na rodovia provincial N° 105. Foi o centro mais povoado da região, com 8000 aborígenes aproximadamente, que viviam ao redor da lagoa Leuvucó. No Enterratorio, encontra-se os restos de seu último cacique, Mariano Rosas e um Monumento alusivo à cultura Ranquel. Todos os anos, em 24 de junho, é celebrado o “We Tripantü”, ano novo ranquel. Guiado pelo  Conselho de Lonkos de La Pampa, é realizada uma cerimônia de “Rogativas”.

Sugerimos continuar o circuito visitando a Estância turística La Holanda, onde é  possível passar uma tarde de campo, dormir lá, e conhecer o Museu Atelier Ortiz Echagüe. Os visitantes são recebidos pelos descendentes do pintor espanhol e podem se deleitar com sua obra.

O roteiro termina na cidade de Jacinto Arauz, conhecida por ter sido o lugar onde viveu o Dr. René Favaloro, quando se desempenhava como médico rural. A visita inclui o  Museu Histórico do Médico Rural Dr. René Favaloro, a clínica criada por ele e seu irmão e a casa onde morou.

Em todo este roteiro, o destaque fica por conta das Estâncias agrícolas e pecuárias, onde o visitante terá também a oportunidade de praticar esportes equinos ou presenciar o maravilhoso espetáculo de destrezas criollas, guitarreadas e os  encontros folclóricos tipicamente pampeanos, reunindo os habitantes locais ao som dos  entardeceres patagônicos. A gastronomia clássica é o asado criollo e as delícias campestres que acompanham as rodadas de chimarrão.